Domingo, 14 de Julho de 2024
Publicidade

Internacionalização da Uece proporciona experiências e amplia horizontes

Aderlindo Ribeiro, cabo-verdiano (África), sonhava em se formar, no entanto, com as possibilidades limitadas em seu país de origem, resolveu que sa...

21/06/2024 às 16h21
Por: Victor Leal Fonte: Secom Ceará
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Aderlindo Ribeiro, cabo-verdiano (África), sonhava em se formar, no entanto, com as possibilidades limitadas em seu país de origem, resolveu que sair de seu lugar seria uma alternativa. Passou por processo seletivo federal do Programa de Estudantes – Convênio de Graduação (PEC-G), do qual a Universidade Estadual do Ceará (Uece) é parceira por meio de seu Escritório de Cooperação Internacional (ECInt). Arlindo foi, então, aprovado para cursar Nutrição na instituição cearense em 2019.

Aos 19 anos de idade, o jovem chegou à Fortaleza, onde conheceu nova cultura, novas pessoas, tudo novo! Isso não o impossibilitou de se destacar na trajetória acadêmica, sendo agraciado com a Bolsa Mérito concedida pelo Ministério das Relações Exteriores, concedida a estudantes PEC-G que apresentem notável rendimento acadêmico após o primeiro ano de graduação no Brasil.

Agora, quase terminando o curso de Nutrição, Aderlindo é estagiário no Restaurante Universitário do campus Itaperi, em uma das áreas em que mais se identificou, Alimentação e Nutrição. Toda sua trajetória internacional como estudante de graduação da Uece é vista como uma grande oportunidade pelo cabo-verdiano. “Estou gostando muito de toda a experiência que estou tendo, estando em outro país, vivenciando outra cultura, isso vem impactando muito na minha vida, ampliando muito meus horizontes, a minha visão de mundo”.

A PEC-G

O PEC-G é um instrumento de cooperação educacional, que oferece a estrangeiros com ensino médio completo e proficiência em língua portuguesa, a oportunidade de realizar a graduação completa, de forma gratuita, em instituições brasileiras de educação superior. A Uece é uma dessas instituições que recebe e torna seus os alunos estrangeiros, visando contribuir com a formação de recursos humanos de seus países e proporcionar trocas culturais.

Assim como a Uece dá oportunidade para estudantes de fora estudarem aqui, ela oferece também, e principalmente, oportunidade para alunos daqui, de graduação e de pós-graduação, irem para outros países. Como é o caso de Claudio Henrique de Sena que, enquanto doutorando em Sociologia da Uece, estudou também em uma universidade francesa. “A Uece me acolheu com respeito e carinho durante todos os quatro anos que cursei o doutorado em Sociologia. Sou grato pelos colegas que fiz, pelos professores, verdadeiros mentores para a vida e, principalmente pela formação de meu intelecto e da minha carreira acadêmica. O doutorado sanduíche da Capes, viabilizado pelo convênio da Uece com a Université Lumière Lyon 2, me permitiu comprovar a excelência acadêmica da Uece ao viver uma experiência enriquecedora. Isso fez com que minha pesquisa ganhasse dimensão mais ampla e que eu passasse a integrar uma rede de professores e pesquisadores de âmbito mundial”, ressalta Claudio Henrique.

Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Essa mobilidade é possível a partir de convênios firmados entre a Uece e instituições, órgãos e outros. Em 2023, a Uece tinha 43 convênios ativos, que beneficiaram 68 estudantes, entre os quais, alguns desejavam ter uma experiência internacional, mas sem sair do Brasil. Para eles, a Uece possui parceria com o Programa de Intercâmbio Acadêmico Latinoamericano (PILA), que tem como objetivo promover intercâmbio de estudantes de graduação e pós-graduação, bem como acadêmicos, pesquisadores e agentes das universidades e instituições de ensino superior participantes a fim de enriquecer sua formação acadêmica, profissional e integral, promover a internacionalização do ensino superior e fortalecer os laços de cooperação.

Uma das participantes do PILA foi a estudante do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central (Feclesc), Rebeca Rabelo de Oliveira, que teve a oportunidade de fazer a mobilidade acadêmica virtualmente, na Universidad Autónoma de Tlaxcala (México). “Uma experiência enriquecedora que me permitiu não apenas aprofundar meus estudos de espanhol no Núcleo de Línguas, mas também expandir minha compreensão sobre educação através do contato com a cultura mexicana. Além de fortalecer minhas habilidades de comunicação e conhecer novas metodologias educacionais, o PILA me proporcionou uma valiosa rede de contatos internacionais. Agradeço sinceramente pela oportunidade e espero que mais alunos possam ter a chance de participar de programas tão transformadores como esse no futuro”.

Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Essas e outras iniciativas que beneficiam a tantos têm à frente o ECInt, que tem como objetivos coordenar e promover as políticas de internacionalização e linguística da Uece, em acordo com a missão, a visão, os objetivos e as metas presentes no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico Institucional (PPI) da Universidade. Essas atividades são de grande relevância, como explica a coordenadora do ECInt, professora Kadma Marques. “O ECInt tem tido, de 2021 até hoje, importância fundamental no processo contínuo de internacionalização da instituição, atuando como elemento mediador na celebração de convênios internacionais e como agente que elabora e intervém nas políticas de internacionalização na Uece”.

O Escritório foi criado por meio da Resolução nº 1682/2021 – Consu, sendo dividido em seis eixos principais temáticos de atuação: Convênios e Cooperação Internacionais; Mobilidades Acadêmicas Internacionais; Idiomas; Comunicação Institucional e Eventos; Planejamento e Avaliação; e Função Administrativa e Apoio Acadêmico.

ECint

Desde então, o ECInt vem desenvolvendo diversas atividades para o fortalecimento da internacionalização da Uece. “O ECInt realizou esforços no sentido de materializar um perfil de internacionalização capaz de envolver os três segmentos da universidade: estudantes, professores e funcionários, com atividades que beneficiem toda a comunidade acadêmica, como aquisição e aplicação gratuita de 150 Testes TOEFL; ampliação do número e diversificação de convênios celebrados; apoio no processo de seleção de doutorandos para concorrência à bolsa pelo PDSE CAPES; adesão à modalidade virtual do PILA; fortalecimento do PEC-G, com realização do Pré-PEC, para recepção, na Uece, de estudantes da América Latina, Caribe e África, principalmente. Trabalhamos ainda no sentido de contribuir para a efetivação da política linguística da Uece, por meio de um convênio com a Plataforma Altíssa. Esta plataforma de aprendizagem de inglês, francês, espanhol, alemão e italiano, fornecerá acesso gratuito para 150 estudantes durante seis meses”.

Entre outras ações, estão a parceria com Instituto Confúcio (UFC), que proporcionou a recente abertura de turma para aulas de Mandarim, voltada para professores e servidores da Uece; assim também como a parceria com o Instituto Cervantes e o Cine São Luis, além do apoio do Governo do Estado do Ceará, a partir da qual está sendo organizada uma mostra do novo cinema ibero-americano.

Essas são apenas algumas das iniciativas que, por meio do ECInt, tornam a Uece cada vez mais internacionalizada.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários